Rss

  • redit
  • youtube
  • google
  • facebook
  • twitter

41 3308 9382

Técnicas de estudo sem instrumento musical

por Nathalia Lange Hartwig

O estudo de uma peça musical começa muito antes de chegarmos ao instrumento.

Primeiramente, precisamos estabelecer um cronograma de estudo. Você já deve ter escutado seu professor falar que é melhor estudar 15 minutos por dia ao invés de estudar 4 horas seguidas em uma dia só, não é? Acredite, ele está certo. A regularidade é um dos segredos para aprender e desenvolver a habilidade musical. Portanto, estabeleça um horário fixo de estudo que você consiga cumprir. Não adianta se propor a estudar 5 horas por dia, 7 dias da semana se você sabe que não vai conseguir. Comece com metas menores e vá aumentando conforme seus horários permitirem!

Após ter definido o seu cronograma, vamos ao estudo propriamente dito. O processo de preparação de uma peça musical apresenta algumas etapas. Vamos nos limitar a primeira, aquela em que não utilizamos o instrumento musical. Essa primeira etapa se refere a análise da peça musical. É aqui que estabelecemos o primeiro contato com a peça e começamos a construir a idéia musical que encontraremos nas próximas etapas (práticas).

O objetivo da análise é se apropriar dos elementos que compõe a peça. Dentro dessa etapa vamos desenvolver as seguintes possibilidades de estudo sem instrumento:

– compreensão das partes da partitura: analisar os elementos separadamente. A seguir alguns dos elementos que podem ser analisados:

Clave: quais claves aparecem na partitura, e se você domina as notas;

Ritmo: identificar as figuras rítmicas mais complicadas, para estudá-las separadamente;

Melodia: entender o contorno melódico;

Harmonia: compreender a estrutura harmônica e seus movimentos;

Cifras: análise das cifras e suas nomenclaturas;

Letra ou texto: se a música não for apenas instrumental.

– escuta ativa: consiste em uma audição concentrada e detalhada da peça musical (pode-se escolher ouvir a melodia, harmonia, os timbres e os detalhes da peça).

 – leitura rítmica: Sabe aquelas figuras rítmicas mais complicadas que você separou na partitura? Um bom exercício é fazê-las separadas dos outros elementos.

 – leitura métrica: exercício de leitura do nome das notas com o ritmo (não envolve cantar a nota afinada, apenas falar o seu nome no ritmo certo).

 – acompanhamento da partitura com áudio: nesse exercício você escolhe uma linha para ser seguida durante a audição do áudio. Pode ser a melodia, as cifras ou a letra da música, por exemplo.

 

Conforme vimos, o processo de preparação e estudo de uma peça musical engloba várias etapas. O estudo junto ao instrumento é de suma importância, mas este ficará muito mais fácil se você já tiver um conhecimento maior da peça que vai tocar! Assim evitamos aquelas surpresas de notas, ritmos ou acordes que não conhecemos no meio da música. Aqui trouxemos algumas sugestões, mas existem inúmeras formas de estudar música. Descubra qual é melhor para você e bom estudo!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *